Archives: abril 2014

Pesquisas on-line para alunos

keyboard-with-fingers-300x198

Olá, gente…

Um dos aspectos relevantes do uso das pesquisas escolares on-line é a capacidade dos alunos avaliarem criticamente as informações coletadas.

Além de incluir habilidades de buscar, ler e interpretar as informações, é essencial avaliar o nível de precisão das mesmas bem como sua confiabilidade e, dependendo do caso, questões de preconceito.

Segundo Julie Coiro, professora Adjunto da Universidade de Rhode Island, pesquisas sobre o assunto com alunos adolescentes americanos sobre o material coletado online, apontaram que:

– Alunos do ensino fundamental estão mais preocupados com relevância de conteúdo do que com credibilidade.

– O material coletado raramente atende às características de origem, como autor, local ou tipo de publicação para avaliar a confiabilidade e perspectiva do autor.

– Quando eles se referem a recursos de origem e autoria em suas explicações, seus julgamentos muitas vezes são vagos, superficiais e sem fundamentação justificada.

Outros estudos destacam deficiências semelhantes de ensino médio e estudantes universitários nestas áreas.

Diante desses indicadores, torna-se fundamental a elaboração de um plano ou um programa de intervenção educacional, visando subsidiar esse atividade escolar.

Seja por iniciativa de uma área de estudos ou da escola como um todo, é fundamental que os educadores reflitam sobre o assunto com vistas a elaborar ações e metodologias para tratar da informação on-line.

Para isso, e reinterpretando Julia Coiro, encaminho uma lista de estratégias para usar ou adaptar às necessidades dos seus alunos, como uma sugestão de roteiro ajudando-os a refinar sua capacidade de pensar criticamente durante a realização de pesquisas on-line.

Perguntas que o aluno deve fazer ao site pesquisado:

– É este o local relevante para as minhas necessidades e propósito?

– Qual é o propósito deste site?

– Quem criou a informação neste site e o que é o nível de especialização de seu criador?

– Quando a informação neste site foi atualizada?

– Onde posso ir para verificar a precisão desta informação?

– Por que essa pessoa ou grupo colocou esta informação na Internet?

– Será que o site apresenta apenas um lado da questão, ou são múltiplas perspectivas prestadas?

– Como as informações e / ou imagens neste site são apresentadas pela posição do autor?

– Existe alguém que pode ser ofendido ou magoado com as informações neste site?

– Há indícios de preconceito?

– Como posso associar as ideias do conteúdo do site para minhas próprias perguntas e interpretações?

Então, o que você pode fazer para ensinar de forma mais explícita os adolescentes como para avaliar a qualidade da informação on-line?

Quais os critérios que você tem realizado para ajudar seus alunos a desenvolver o pensamento crítico sobre a informação on-line?

Tem sugestões? Encaminhe

Deixe seus comentários.

 

Postado por Michel Assali

Feliz Páscoa!

Olá, gente…

Imagem-Páscoa

 

 

 

 

Postado por Michel Assali

 

 

 

 

[Top]

Em defesa da escola

Olá, gente…

A função social da escola está mudando?

O aprender a aprender reduzirá o papel da escola na sociedade do conhecimento?

Num período em que o conhecimento parece estar em toda parte, o docente da Universidade Pedagógica Nacional de Bogotá, Carlos Ernesto Noguera-Ramírez, critica os movimentos que defendem a aprendizagem fora das fronteiras escolares e diz que as instituições de ensino devem se reinventar e resistir.

Confira a entrevista acessando o endereço abaixo.

http://revistaeducacao.uol.com.br/textos/204/a-escola-atacada-309650-1.asp

Encaminhe seus comentários a respeito do assunto.

Postado por Michel Assali

[Top]

Você é competente ?

Olá, gente…

Você se considera competente no que faz?

Nunca se falou tanto em competência como nos dias atuais. Competência do aluno, competência do professor, competência leitora e escritora, etc.

Mas, o que é competência?

Vários autores definem o significado do termo. Porém uma definição bem didática é a encontrada em um artigo escrito pelos professores da USP Afonso Fleury e Maria Teresa Fleury, onde a competência é pensada como a intercessão entre conhecimento, habilidade e atitude. Essas três dimensões precisam se “misturar” para que possamos dizer que somos competentes em determinada área.

competencia

Aprender sobre as três dimensões que compõem a competência é importante para que se consiga trabalhar na direção certa do desenvolvimento profissional e pessoal. Vale pensar em alguns pontos interessantes:

conhecimento é o saber. Envolve a educação formal, saber o que, saber o porquê, saber para que e a capacidade de aprender;

habilidade é o saber-fazer. São as experiências, o saber como, as técnicas, o conhecimento tácito e o modelo mental;

atitude é o saber ser. Ou seja, ter determinação, responsabilidade, comprometimento, motivação e iniciativa.

Pense bem sobre isso e responda: Você é competente no que faz?

Encaminhe seus comentários!

Postado por Michel Assali

 

[Top]