Archives: agosto 2016

A importância de ensinar e desenvolver habilidades sócio-emocionais (Parte II)

(Continuação da Parte I)

Salto Tiago

Olá, gente…

A sociedade superou a fase da subsistência e começa a exigir novas habilidades, incluindo-se nessas exigências as habilidades sócio-emocionais, com impactos sensíveis nas relações e redes sociais.

A escola tem um grande poder em contribuir com a modificação dos comportamentos sócio emocionais, razão pela qual é um ambiente propício e privilegiado para esse desafio.

Trabalhar e desenvolver as competências emocionais não é tarefa tão simples ao professor.

Um investimento na formação docente se faz necessária na elaboração de um novo currículo dos cursos de graduação para o magistério e, principalmente, na formação e treinamento em serviço para os docentes que já atuam profissionalmente. E os investimentos não serão poucos.

Os desafios para que as competências emocionais sejam viabilizadas são enormes, pois é preciso considerar que:

– Identificar conhecimentos e competências de maior relevância

– Inexistência um arcabouço de dados sobre essas competências;

– É preciso elaborar e estabelecer uma taxonomia sobre esse conteúdo;

– A necessidade de formular critérios e conceitos de mensuração das habilidades e competências;

– Contribuir a redesenhar a política educacional.

A escola tem as condições para iniciativas um trabalho nesse alinhamento, sem esperar que medidas centralizadas possam demandar obrigatoriedades para o trabalho. Porém, para isso se faz necessário que o grupo escola esteja sensibilizado para essa questão e elabore um pequeno projeto para melhor organizar o trabalho.

A Olimpíada 2016 em muito contribuirá para o desenvolvimento dos conteúdos emocionais. A   preparação dos atletas é um excelente exemplo para motivar e desenvolver nos alunos esses conteúdos, que requerem não apenas preparação física. Inclui-se aí, a organização das Olimpíadas, notadamente os espetáculos da abertura e encerramento do evento.

Como sugestões é possível pensar em temas  que sugerimos abaixo ou elaborar e adequar novos temas:

Quanto aos relacionamentos:

– Empatia – amabilidade – gentileza;

– Respeito

-Confiança

– Modéstia – gratidão

Quanto à resiliência emocional:

– Tolerância ao estresse

– Autoconfiança

– Tolerância à frustração

Quanto à autogestão (longo prazo):

– Determinação

– Organização

– Foco

– Persistência

– Responsabilidade

Quanto à abertura ao novo (longo prazo):

– Curiosidade

– Imaginação criativa

– Interesse artístico

– inovação e criatividade

Não é necessário que a escolha trabalhe todas essas habilidades de uma só vez.  É muito importante conhecer os interesses das crianças e selecionar as habilidades de maior relevância para aquele grupo ou escola.

Pense sobre isso, compartilhe e encaminhe sugestões e comentários.

Postado por Michel Assali