Archives: dezembro 2016

Feliz Ano Novo!

Olá, gente…ano-novo-2

 

 

 

 

 

    O Ano Novo se inicia literalmente quando nos desapegamos de velhos hábitos, vícios e pensamentos, e nos abrimos para aceitar o novo, compreender a vida e abertos ao perdão.

Façamos do primeiro dia do Ano Novo, um momento marcante dessa libertação e renascimento juntando forças para a superação das dificuldades que virão e a busca de dias cada vez melhores.

Um Feliz Ano Novo, recheado de realizações, saúde, paz e alegrias.

Michel Assali

Reflexão de Natal

Olá, gente…feliz-e-santo-natal

Após um ano intenso de trabalho, é momento de fazer uma pausa mental para que possamos apreciar tudo que construímos ou ajudamos a construir ao longo do ano de 2016.

Se olharmos para trás veremos que o caminho foi longo e que a caminhada não foi em vão. Em muito participamos, realizamos, produzimos e superamos.

Os problemas, erros e contratempos, fizeram parte da jornada e nos ajudaram a refletir, intervir e nos motivar à superação dos desafios.

Aprendemos, convivemos e reaprendemos o tempo todo. Sem dúvida, a soma dos momentos felizes supera em muito a dos erros e fracassos.

Portanto, fomos felizes apesar de tudo e de todos!

Neste Natal, coloque mais amor à mesa e Cristo no seu coração.O tempo do Natal nos mostra o caminho para a renovação.

Aproveite esse tempo!

Que o Natal preencha nossos corações com momentos de muita fé, paz, alegria e amor.

Feliz Natal e um Ano Novo repleto de realizações!

Postado por Michel Assali

[Top]

Feliz natal!

natal-6

[Top]

Boas Festas!

albero-di-natale-innevato

BOAS FESTAS!

[Top]

Educação: o futuro no presente!

Olá, gente…

future-education

A evolução tecnológica, econômica e social têm produzido sensíveis impactos no contexto da experiência de profissional nos diversos setores da sociedade, provocando reflexões no ensino, em especial sobre as formas e metodologias do processo ensino e aprendizagem.

 

As relações sociais e profissionais mediadas pelas novas tecnologias, gradativamente vem produzindo efeitos alterando espaços, tempos e acesso à informação e o modo de produzir resultados em função dos objetivos das instituições em escala mundial.

 

A quantidade de dispositivos, softwares, aplicativos, etc., compõem um cenário tecnológico assustador e, ao mesmo tempo, provocador, ao favorecer o uso de poderosas ferramentas pedagógicas e de comunicação, tais como quadros interativos e tablets, web e vídeo conferências, diversos  tipos de aplicativos e recursos digitais.

 

Como consequência, a instituição escolar, pressionada pelas novas tendências, passa por mudanças significativas, tanto na demografia do corpo discente e de mudanças baseadas na tecnologia no ensino e aprendizagem, quanto na formação de um corpo docente, exigindo um profissional capacitado e adaptado para os novos contextos e cenários.

 

Considere-se ainda, as conquistas sociais, onde o acesso, inclusão e permanência no sistema escolar, aliadas à busca da qualidade de ensino, transformam o ambiente escolar em local privilegiado para as diversas formas de interações sociais favorecendo novos espaços e tempos individualizados e coletivos para a aprendizagem.

 

Nesse sentido, a escola do futuro deve se organizar de forma a fazer o melhor uso de tecnologias e métodos de ensino adequados às novas demandas, no sentido de produzir técnicas e recursos pedagógicos cada vez mais apropriados às diversidades e experiências de seus alunos.

 

Ao longo dos últimos anos, temos observado tendências educacionais que sinalizam movimentos em direção a um ensino com abordagem centrada no aluno, envolvendo metodologias que substituem o ensino unidirecional para um modelo multidirecional, com foco na relação professor-aluno, em ambientes produtivos e colaborativos, envolvendo projetos, tarefas, resolução de problemas, etc.

 

As instituições escolares procuram se inserir nesse contexto fazendo com que as instituições públicas e privadas apliquem consideráveis recursos para atender as demandas sociais com relação ao uso das tecnologias.

 

A Medida Provisória para o novo Ensino Médio está posta pelo governo, provocando grandes discussões, posicionamentos e ações em diversos segmentos da sociedade.

 

Diante da situação convém fazer uma reflexão sobre as indagações que surgem como consequência:

 

– Os educadores estão suficientemente envolvidos e preparados para utilizar todo esse aparato tecnológico?

– Os cursos superiores bem como a formação da docência no ensino superior, estão se preparando para formar novas competências para professores e gestores educacionais?

 

– Em que aspectos as mudanças provocadas pela Medida Provisória para o Ensino Médio beneficiarão o ensino público?

– Os educadores têm ideia sobre os novos hábitos de pensamento a serem desenvolvidos pelos alunos do Séc. XXI?

– As propostas curriculares estão adequadas para atender um ensino com o uso das novas tecnologias?

– Projetos de aprendizagem estão alinhados na perspectiva do material didático virtual?

– Os resultados da avaliação do PISA devem impactar novas políticas educacionais?

– Estarão as famílias preparadas para a escola que está por vir?

 

Essas e outras perguntas se fazem necessárias às discussões sobre o tema para que os educadores possam sentir segurança nas mudanças paradigmáticas das estruturas educacionais.

 

Vamos pensar sobre essas questões!

Compartilhe e encaminhe seus comentários.

 

Postado por Michel Assali, também no blog www.opnorte1.blogspot.com.br

[Top]

Manifesto incompleto a favor da inovação em educação.

 

Olá, gente…inovacao-em-educacao

 

Inovação é atualmente a demanda mais solicitada tanto nas instituições públicos quanto nas corporativas e nos mais diversos setores da sociedade, com ênfase especial na educação. É evidente que a base para qualquer inovação que se pretenda reside no desenvolvimento da criatividade.

 

Dessa forma, a importância de construir um ambiente educacional favorável a promover a criatividade é fundamental dentro da instituição escolar, seja em ambientes especiais como na própria sala de aula.

 

Com esta preocupação o designer canadense Bruce Mau, iniciou um movimento em 1998, selecionando práticas e ações para motivar e liberar a criatividade. Embora seu objetivo visasse os designers, os conceitos são válidos para qualquer profissional, inclusive educadores.

 

Bruce Mau acredita que o Design é uma nova maneira de aumentar a qualidade do ensino das crianças e assim, gerar inovadores profissionais no futuro. Ele entende que o poder do design não tem limites, e tem a capacidade de trazer mudanças positivas em uma escala global.

 

Com muitos adeptos a ideia, Mau elaborou um manifesto que recebeu o nome de “Manifesto Incompleto”, por ter o objetivo de ser um movimento contínuo e construído de forma colaborativa.

 

Segue abaixo, uma seleção de interessantes afirmativas contidas no Manifesto Incompleto que favorecem nossa reflexão a respeito do assunto e sobre nosso trabalho.

 

  • Permita-se mudar com os acontecimentos:

Você tem que estar disposto a crescer. Crescimento é diferente de algo que acontece com você. Você pode produzi-lo. Você vive isso. Para um crescimento significativo, é preciso estar aberto para experimentar eventos e a vontade de ser mudado por eles.

 

  • Esqueça o bom:

Bom é uma quantidade conhecida. Bom é o que todos nós concordamos. Precisamos, na verdade do ótimo, da excelência.

 

  • O crescimento não é necessariamente o bom:

Crescimento é uma exploração constante. Se você já se contentar com um bom, você nunca vai ter um crescimento real.

 

  • Não deixe de lado os erros acidentais:

A resposta errada é a resposta certa em busca de uma questão diferente. Colecione respostas erradas como parte do processo. Faça perguntas diferentes. Valorize os detalhes.

 

  • Colabore:

O espaço entre pessoas trabalhando juntas é cheio de conflitos, atritos, alegria, prazer e vasto potencial criativo. Permita-se a colaborar sempre.

 

  • Fique acordado até tarde:

Coisas estranhas acontecem quando você vai longe demais, trabalhou muito duro e depois, se vê separado do resto do mundo.

 

  • Pense com a sua mente:

Esqueça a tecnologia. Criatividade não é dependente desse recurso. Toda mudança começa conosco e não com os recursos. A tecnologia é apenas recurso a ser disponibilizado para o que nós vamos planejar.

 

  • Processo é mais importante que resultado: Quando o resultado guia o processo, nós somente iremos para onde já estivemos e pode levar a procrastinação. Se o processo guia o resultado, nós podemos não saber para onde estamos indo, mas saberemos que queremos estar lá.

 

  • Ame seus experimentos:

Prazer é a engrenagem do crescimento. Explore a liberdade de moldar seu trabalho como lindos experimentos, interações, tentativas, provas e erros. Olhe para a longa vista e permita a si mesmo a diversão da falha todos os dias.

 

  • Fique a deriva:

Permita a si mesmo vagar sem rumo. Explore as adjacências. Não faça julgamentos. Adie críticas.

 

  • Continue se movendo:

A sociedade, o  mercado e suas operações têm a tendência de reforçar o sucesso. Resista. Permita que a falha e a migração sejam partes de sua prática.

 

  • Não entre em premiações:

Simplesmente não faça isso. Não caia na armadilha da competição. Não é bom para você.

 

Não é mais possível admitir que, em pleno século XXI, uma empresa ou instituição escolar que almeja o sucesso não tenha como lema a inovação. Mas é preciso combinar o princípio da inovação com o principio do processo criativo e, junto com outras ações estruturantes, manterem-se competitivas.

 

Lembrando que inovar é o passo final de um longo caminho difícil, ousado e de enfrentamento de mudanças, requerendo persistência, disciplina e determinação por parte de todas as pessoas e de todos os setores. É possível!

 

Lembre-se que do século XXI, já se passaram 16% e, inovações na educação até agora, nadinha de nada.

 

Já pensou a respeito disso? Manifeste sua opinião! Deixe seus comentários!

 

Postado por Michel Assali

[Top]