Archives: fevereiro 2018

Início de ano letivo: projetando a avaliação diagnóstica.

Olá, gente… Lupa - Diagnóstica

Um dos maiores desafios educadores enfrentam hoje é como diferenciar o ensino dentro da sala de aula. E o melhor momento para refletir sobre esse assunto é justamente o início do ano letivo. Para escolher um cenário comum, o professor de determinada disciplina do Ensino Médio, ou o polivalente do Fundamental, pode ter alunos que trabalham em sensíveis e diferentes níveis de conhecimentos da disciplina ou componente curricular.

Alguns alunos podem estar aquém da curva média da classe, enquanto outros podem estar numa posição bastante avançada. Mesmo os estudantes que, aparentemente, parecem estar num mesmo nível de aprendizagem, podem apresentar muitas diferenças no domínio efetivo de conhecimentos ou nos pré-requisitos de aprendizagem.

Neste sentido, o cenário sobre o domínio de conhecimentos numa sala de aula é muito variado tendo em vista as diferenças individuais, caracterizando específicos momentos na apropriação e desenvolvimento dos níveis de competência.

Com essas considerações, um planejamento de aprendizagem rígido ou inflexível, desconsiderando esses aspectos da diversidade, pode criar situações de frustração e desânimo ao grupo mais avançados e prejudicar o estímulo à aprendizagem, ao grupo que apresentam maiores dificuldades no processo.

Localizar o ponto exato das dificuldades de cada aluno é tarefa muito complexa, tendo em vista o formato e organização da sala de aula em todos os sistemas educacionais brasileiras. Porém, isso não pode soar como desânimo à docência.
A construção e o emprego de bons instrumentos diagnósticos de avaliação, pode melhor precisar e identificar as lacunas do conhecimento de cada aluno e facilitar ao professor elaborar um plano de intervenção eficaz.

Este é o momento onde a avaliação individualizada desempenha um papel crítico para identificar as reais lacunas do conhecimento de um aluno e construir um plano de itinerários pedagógicos personalizados, visando melhorar, garantir ou avançar no desenvolvimento da aprendizagem.

Pode a princípio parecer muito difícil ou impossível. Contudo, à medida que se exercita essa prática docente, rapidamente passa a se transformar em rotina que em pouco tempo contribuirá com resultados satisfatórios e a alegria da docência.

Experimente!

Pense sobre o assunto e encaminhe suas experiências relacionadas com o tema.
Postado por Michel Assali

Para tornar-se uma pessoa mais produtiva em 2018

Olá, gente…productivity-for-adhd

 

O ano esta começando e o mês de janeiro já terminou. Logo vem o carnaval e quando menos se espera, o ano tem apenas 10 meses. Ainda virão os feriados, a copa do mundo, as eleições e as férias do ano.

Quando menos se espera, o ano termina e ao olhamos para trás, vemos que poderíamos ter produzido muito mais do que fizemos, tanto no aspecto profissional como no pessoal.

 

Distrações, falta de organização e foco são alguns dos motivos que causam a falta de produtividade, um problema que pode arruinar o trabalho e os negócios de qualquer profissional.

O que será que deu errado?

 

Para ajudar quem sofre com problema semelhante, o coach e escritor norte-americano Jack Canfield, publicou na revista Enterpreneur dicas para se tornar uma pessoa produtiva.

 

Confira a seguir uma lista feita com base nesse conteúdo:

 

– Limpe sua bagunça

Projetos incompletos podem te deixar para baixo e acabar com a energia que você precisa para alcançar seus objetivos. Essas pendências também te atrapalham a focar no que você realmente precisa fazer. Faça uma lista com todas as tarefas que ainda não concluiu e determine prazos para finalizá-las. Assim, você ficará livre para se concentrar no que realmente interessa no momento.

 

– Reserve dias para “ter foco”

De acordo com Canfield, pessoas de sucesso costumam reservar dias para focar em atividades que estão relacionadas aos seus objetivos. Durante os “dias de foco” você deverá gastar ao menos 80% do seu tempo em atividades e interações com pessoas que,  de alguma maneira, estejam relacionadas ao que você faz.

 

– Aprenda a dizer não

Sabendo dizer não a convites, propostas e distrações que não contribuam para que você atinja seus objetivos, você poderá usar seu tempo em atividades que realmente te ajudem a alcançar suas metas.  Canfield sugere que além de uma lista de tarefas, as pessoas devem fazer também uma lista com coisas que elas não devem perder tempo.

 

– Faça meditação

Segundo Canfield, a meditação irá te ajudar a limpar sua mente. Assim, você conseguirá tomar as melhores decisões e poderá focar em resolver seus maiores problemas. Além disso, essa atividade te ajudará a prestar mais atenção ao mundo ao seu redor, o que te contribuirá para que você se torne uma pessoa mais criativa.

 

Tem mais alguma sugestão a acrescentar?

Encaminhe suas sugestões e comentários.

 

Postado por Michel Assali

[Top]