Resistência às mudanças.

Olá, gente…inovação - 1

As inovações para que sejam implementadas, exigem reflexões e planejamentos, principalmente quando estas podem mexer com mudanças paradigmáticas, pois passam a ser fundamentais em tempos da grande influência das novas tecnologias no nosso cotidiano profissional e familiar.

O processo de implementar mudanças em qualquer ambiente é sempre um grande desafio para qualquer instituição seja ela de caráter público ou privado. Entretanto, a mudança, faz parte de toda a realidade humana. Afinal, nosso presente está impregnado de situações de mudanças que se apresentam muitas vezes de forma sutil. Temos o que temos graças às mudanças nos diversos setores da atividade humana, construídas historicamente por sujeitos também históricos.

E mudar, nunca foi nem será nada fácil e sempre encontrará resistências, uma vez que traz sempre o incômodo, a perturbação, susto e muito… trabalho.

A professora Rosabeth Moss Kanter, da Harvard Business, destacou 10 razões para as pessoas resistirem à mudança, as quais listo abaixo com alguns comentários:

 

Perda de controle da mudança – Toda mudança afeta a autonomia e muda o paradigma de um determinado setor. E quando o paradigma muda tudo tende caminhar para o nível zero. Isto significa que a mudança desequilibra as pessoas obrigando-as a se adaptarem ao novo, exigindo novos conhecimentos para o novo paradigma, afetando a segurança e até as relações de poder.

Alta incerteza – Nosso cérebro é preparado para nos preservar do excesso de informação e, por essa razão, procura categorizar as informações que filtra. Mudar os paradigmas construídos com essa categorização é um processo demasiadamente doloroso. Possibilitar a comunicação para que as pessoas possam entender os benefícios da mudança passa a ser de extrema importância para a instituição.

Implementação de Surpresa – Impor mudanças é o melhor caminho para o fracasso. Por mais tentador que seja, deve-se evitar mudanças planejadas em segredo. O melhor caminho é começar contextualizando as razões e os cenários futuros que levaram a decidir pela mudança;

Tudo Diferente – Diante de um novo paradigma, as pessoas necessitam de uma nova “alfabetização” visando à preparação para novos procedimentos, operações e relacionamentos. Efeito inevitável das mudanças.

Perda de Identidade – A mudança sempre é abandono do passado. O problema é que as pessoas podem sentir-se como se tudo o que elas fizeram até aquele momento estivesse errado e por isso está acontecendo a mudança. Deve-se esclarecer que não é que o modelo anterior estava errado, ele apenas está ultrapassado, pois já não conseguem mais responder a novos problemas ou mudanças de cenários, principalmente os advindos de mudanças que aconteceram na sociedade. É importante resgatar conquistas passadas para manter o sentimento de dever cumprido.

Preocupação com a própria empregabilidade – Com a mudança, novas competências terão que ser desenvolvidas o que pode gerar insegurança nas pessoas quanto ao sucesso no aprendizado dessas novas competências. Investir em treinamento e capacitação deverá constar do Planejamento da organização visando o aperfeiçoamento que possam auxiliar no processo de adaptação a nova realidade e as novas competências;

Mais Trabalho – Sem nenhuma dúvida, qualquer mudança gera mais trabalho, principalmente ao se iniciar. Pois é no início do processo e na sua implementação que aparecem falhas, problemas e as próprias resistências. É nesse momento em que os ajustes serão inevitáveis, o que se faz necessário ter uma equipe dedicada ao processo de gestão de mudança é vital, até mesmo porque ajustes serão necessários.

Efeito Cascata – Convém ressaltar que as consequências da mudança não serão sentidas somente por um determinado setor ou segmento, mas que , gradativamente seus efeitos repercutem em outros segmentos, provocando também novas resistências. Portanto é fundamental que a comunicação e o esclarecimento sejam difundidos de forma mais democrática possível.

Ressentimentos do Passado – É muito comum nos momento de mudança, os saudosistas, tragam à tona as discussões e ressentimentos de mudanças no passado, causando mais insegurança e aumento da resistência. O esclarecimento e a socialização das necessidades da mudança serão imprescindíveis nesses momentos difíceis.

 Às vezes, a ameaça é real – Talvez seja a maior fonte de resistência. A mudança causa reação porque pode realmente machucar. Quando novas tecnologias substituem verdadeiramente uma cadeia de valor produtiva, trabalhos e empregos são extintos, surgem novos serviços, etc. O melhor negócio possível é ser transparente, rápido e justo.

Embora nenhum processo de mudança seja confortável, é possível minimizar seus efeitos. Dar retornos constantes à equipe se constitui como instrumento poderoso na preparação das pessoas em aceitar e, principalmente, adaptar-se as mudanças. Mas também é importante ter clareza que mudanças constantes e sem gestão causam mais confusão do que benefícios.

Deve-se ter em mente também que o papel das lideranças é fundamental no sentido de promover de um equilíbrio dinâmico entre mudança  e estabilidade, minimizando seus impactos. Trabalho difícil, mas nunca impossível.

Vamos pensar sobre o tema? Encaminhe seus comentários.

Postado por Michel Assali

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *