O prazer em aprender com solução de problemas.

Olá, gente…Solução de problemas

A resolução de problemas no processo de aprendizagem é uma tarefa cognitiva de sucesso que envolve diversas habilidades como a compreensão de um texto ou enunciado, o planejamento e a execução da atividade ou experimento e a avaliação de uma situação baseada em critérios.

Segundo estudiosos da neurociência, as atividades educativas planejadas com a intenção de provocar a curiosidade e o desafio dos estudantes, além de eficaz produz maior prazer no processo do aprender e no desenvolvimento cognitivo do aluno.

Para o cientista cognitivo Daniel Willinghanm é muito importante que os problemas escolhidos para isso tenham um nível de dificuldade adequado e recompensador. Caso sejam muito fáceis ou muito difíceis, não trarão os efeitos desejados, pois não passarão aos alunos a vontade, o querer e o efeito do sucesso.

Veja por exemplo, o mundo dos jogos (games), onde o jogador está constantemente motivado a cada etapa ou nível de dificuldade e o prazer do mesmo na superação de cada etapa.

Essa ideia relaciona-se diretamente ao conceito do desenvolvimento proximal elaborado, por Lev Vygotsky, ao se referir como a distância entre o desenvolvimento real (solução independente de um problema) e o nível de desenvolvimento potencial (solução de problemas com a mediação do professor), permitindo assim uma sequência de etapas de superação e sucessos gradativos.

Vale ressaltar aqui que “sucesso” ou “bem sucedido” não tem a ver com a ideia superficial de elogiar o aluno, visando apenas elevar sua autoestima, mas ao incentivo de que as etapas sejam realizadas com ênfase na progressão de cada momento de aprendizagem.

Quando os alunos encontram um valor positivo em uma meta ou atividade e percebem o apoio de seu ambiente, esperam ser bem sucedidos em alcançar um resultado desejado e a serem fortemente motivados a aprender.

O problema é que para muitos estudantes a escola não propicia as condições de vivências para experiências bem sucedidas, pois o grande foco ainda incide sobre desempenho em provas regulamentares, notas e médias, levando ao parecer de que os alunos da escola atual são desmotivados, mas ao contrário não são.

Cabe, portanto, discutir e repensar os conceitos de aprendizagem e metodologias de ensino mais adequados para uma escola destinada à meninada do século 21, que por sinal já foram consumidos do mesmo mais de 15% do tempo.

Pense melhor sobre o assunto e encaminhe seus comentários.

Postado por Michel Assali

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *