Coisas que irão desaparecer das salas de aula nos próximos 10 anos.

 

Olá, gente…nova sala de aula

O mundo está em constante mudança e a sociedade também. Temos contemplado mudanças na tecnologia, inovações nas igrejas, nos modelos de transporte de taxis, em hábitos de consumo, etc.

A educação, politicamente centralizada nos governos, oferece grande resistência às mudanças, pois o controle é muito rígido, mas dificilmente escapará de sofrer tais impactos mesmo que o tempo para isso seja mais longo.

Novas metodologias, ensino personalizado, ensino híbrido, uso das tecnologias da informação e comunicação, etc. estão aí, na sala de aula, provocando professores e alunos e motivando à elaboração de novas formas de ensinar.

Essas tendências farão com que determinados aspectos didático pedagógicos, tenham seu dias contados, ou seja, fadados a desaparecer da sala de aula, nos próximos 10 anos.

– Aula explicativa

A aula explicativa tende a ser substituída por vídeos gravados que o aluno pode assistir em outros ambientes diferentes da sala de aula. Durante a aula, o professor pode interagir diretamente com as dificuldades e dúvidas de compreensão do aluno durante as atividades coletivas ou grupais quando de trabalhos decorrentes de desafios, elaboração de projetos ou solução de problemas, favorecendo um ensino mais personalizado.

– Boletins de notas

Os boletins de notas que apenas servem para uma visão superficiais do desempenho do aluno,  serão substituídos por relatórios que evidenciem fácil e fielmente as situações de aprendizagem.

Logicamente isso exigira novas concepções no formato e número de alunos por classe e em capacitação dos professores.

– Provas

Os instrumentos de avaliação onde o aluno estuda apenas para obter a nota tende a ser substituído por novos e adequados modelos, que identifiquem com maior exatidão suas reais dificuldades para a melhor intervenção docente uma avaliação eficiente e eficaz..

– Horários tradicionais

Assim como o ensino personalizado sob medida para atender às diferenças individuais,  também um horário flexível tende a ser implementado visando atender ao melhor desempenho de cada aluno conforme suas habilidades e ritmo de aprendizagem.

– Material escolar

Conhecimento e informação estão sendo cada vez mais organizadas de novas maneiras. Busca  de conteúdos, redes sociais, blogs, mensagens, revistas digitais e outras tecnologias estão se tornando uma nova forma para organização do conteúdo e de parte do material escolar de que o aluno necessita.

– Mesa do professor

A mesa do professor será muito mais virtual que física, considerando que todos os acessórios e utensílios de que precisa, estarão na palma da mão com comandos diretos ao equipamento dos alunos nos diversos recursos e dispositivos tecnológicos, como o smartfone, tablet e etc.

– Carteira do estudante

Considerando as intervenções, interações e deslocamentos de alunos, mobilizados por ensino baseado em projetos ou em problemas, as carteiras individuais não farão sentido aos novos formatos e organização das futuras salas de aula.

– Armários

Ficarão somente para a educação infantil e séries iniciais do Ensino fundamental. Já para o Ensino Médio estes já podem estar desaparecendo em sua escola. Serão gradativamente substituídos pelas “nuvens” digitais com grande capacidade de armazenamento de dados. Adeus ao papel!

– Livros didáticos

Os conteúdos dos livros didáticos serão gradativamente disponibilizados em dispositivos tecnológicos fixos e móveis, permitindo seu acesso na escola e em casa, sob a orientação e moderação do professor, agindo como um curador de conteúdos.

Tem mais alguma coisa que possa ser acrescentada?

Encaminhe para compartilhar ou deixe seus comentários.

Postado por Michel Assali

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *