Gestão: a autoridade formal e a liderança

Olá, gente…liderança e gestão

A liderança é um termo para o qual cabem muitas definições com algumas características comuns como, o envolvimento de pessoas, os relacionamentos interpessoais, as dinâmicas de funcionamento de grupos e a capacidade de influenciar comportamentos.

Porém, a liderança não é inata e pode perfeitamente ser construída teórica e praticamente através de muito conhecimento, reflexões e pela prática aliada ao desenvolvimento dos relacionamentos pessoais e interpessoais.

Neste sentido, não basta querer ser um líder, nem achar que basta ser chefe para ser o líder. A contratação, a designação ou a nomeação para um cargo de chefia não determina a formação de um líder. A liderança precisa ser construída gradativamente através de atitudes e conhecimentos.

Assim, entende-se que a autoridade formal é apenas instrumento para tornar uma pessoa um chefe, mas nunca o suficiente para torná-la líder. É preciso ir para além da formalidade e investir fortemente na gestão de pessoas.

Numa instituição privada ou pública, como uma escola, por exemplo, seu maior patrimônio a gerenciar não são os bens ou equipamentos e sim, as pessoas que ali atuam. Pois é junto ao grupo de pessoas que a liderança se desenvolve. Ninguém é líder de ferramentas, pois seria apenas responsável pelo almoxarifado.

Alguns aspectos diferenciam a autoridade formal da liderança.

Veja:

Autoridade formal:

– Fundamenta-se em legislações aceitas de comum acordo, que criam figuras de autoridade dotadas do poder de comando.

– O seguidor obedece à legislação incorporada na figura de autoridade, não à pessoa que ocupa o cargo.

– A lei é instrumento que garante a convivência social.

– A autoridade formal é limitada no tempo e no espaço geográfico, social ou organizacional. Os limites definem a jurisdição da autoridade.

-É temporária para a pessoa que desempenha o papel de figura de autoridade.

– A autoridade formal inclui o poder de forçar a obediência das regras aceitas para a convivência.

A liderança:

– Fundamenta-se na crença dos seguidores a respeito das qualidades do líder e de seu interesse em segui-lo.

– O seguidor obedece ao líder e à missão que ele representa.

– O líder é instrumento para resolver problemas da comunidade.

– A liderança é limitada ao grupo que acredita no líder ou precisa dele. Os limites da liderança definem a área de influência do líder.

– A liderança tem a duração da utilidade do líder para o grupo de seguidores.

– Os líderes têm o poder representado pelas pessoas que o seguem.

– A liderança é produto de inúmeros fatores. Não é qualidade pessoal singular.

Diretores que são verdadeiramente líderes e não apenas chefes, têm algumas características em comum:

-Usam muito mais a capacidade de influência do que o poder de comando.
-Sabem ouvir cada integrante da equipe e fazer uso das informações que recebem.
-Sabem delegar e acreditar no trabalho realizado pelas equipes.
-Confiam na equipe e procuram fazer com que a equipe confie nele.
-Valorizam opiniões e perspectivas de outros.
-Comunicam claramente à equipe e ao público interno quais os objetivos e metas.

Pense sobre o tema e responda:

-Que tipo de liderança é a sua?
-Que leituras você tem feito sobre o assunto?
-Que ações têm praticado para desenvolver sua liderança?
Tem mais a contribuir? Encaminhe para compartilhar ou deixe seus comentários.
Postado por Michel Assali

 

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *